Alentejo

Os primeiros documentos escritos sobre o plantio da vinha no Alentejo datam do século XII.
 Na imensidão de horizontes planos, o Alentejo tem como acidentes orográficos mais importantes as serras de Portel (421 m), da Ossa (649 m) e, a norte, de S. Mamede (1025 m).

É precisamente nas elevações isoladas como a Serra de São Mamede que se geram os microclimas mais propícios ao plantio da vinha, conferindo aos vinhos que lá são produzidos a frescura, a elegância e a complexidade que os distinguem no contexto da região. Em Portalegre, a Lusovini encontrou uma zona por excelência para vinhos de altitude, um “terroir” com grande expressão  vitícola que está a produzir vinhos de identidade muito forte.

Mais a sul, a ausência de relevos importantes são responsáveis pelas características mediterrânica e continental do clima. A insolação tem valores bastante elevados, o que se reflete na maturação das uvas, principalmente nos meses que antecedem a vindima, conferindo-lhes uma desejável acumulação dos açúcares e de matérias corantes na película dos bagos. 
As vinhas localizam-se na sua maioria, em substrato geológico de manchas graníticas, xistosas e argilo-calcárias.

 

ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais
ver mais

Tem idade legal para consumo de bebidas alcoólicas?